São José dos Pinhais, 21 de Abril de 2017. Solenidade de Tiradentes e entrega de Espadim na Academia Policial Militar do Guatupê.

Uma cerimônia com homenagens, entrega de honrarias e do Espadim Tiradentes marcou a manhã desta sexta-feira (21/04) a Academia Policial Militar do Guatupê (APMG), em São José dos Pinhais (PR), com a participação de autoridades civis e militares, oficiais e praças da corporação, além de integrantes de outras instituições e convidados dos cadetes. No evento em alusão ao Dia de Tiradentes, Patrono das Polícias do Brasil, foi feita a tradicional entrega do Espadim aos 102 cadetes do 1º ano do Curso de Formação de Oficiais (CFO), bem como da Medalha Mérito de Ensino a professores e instrutores da casa de ensino. Nesta data também comemora-se o Dia do Policial Civil e Militar.

“Tiradentes, além do exemplo cívico que representa para nossa história, é o Patrono das Polícias Civil e Militar. O policial no seu dia a dia acaba replicando o exemplo para combater a criminalidade e a injustiça. É importante cultuar a memória de Tiradentes e usá-lo como exemplo para aqueles que estão ingressando como profissionais de segurança pública, para que assim possam conhecer o nosso herói, ainda mais na APMG que tem como missão cultuar valores”, disse o Secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita.

O Comandante-Geral da PM, coronel Maurício Tortato, destacou a importância de unir dois momentos importantes para a corporação, a homenagem ao inconfidente e a entrega do Espadim aos cadetes. “Tiradentes entregou sua vida pela causa brasileira, razão pela qual é considerado, na condição de policial militar e de alferes, o Patrono das polícias do Brasil. Cultuamos as nossas tradições e o exemplo dele para que possamos valorizar a nossa história, para viver o presente e projetar o futuro”, afirmou. “Aproveito também para parabenizar os novos cadetes que no momento crítico em que vivemos entregam suas vidas aos cuidados da corporação e em prol do cidadão paranaense, buscando por uma sociedade mais justa e solidária”.

Para o Corregedor-Geral da Polícia Civil, delegado Jairo Amodio Estorílio, a solenidade na APMG foi uma das melhores que já presenciou. “É uma felicidade poder participar desta cerimônia tão importante e que demonstra qual o sentido de se ter o Tiradentes como nosso patrono”, conta. O o coronel da reserva Luiz Rodrigo Larson Carstens, Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil-Paraná, destacou a satisfação de estar presente na inauguração do busto de Tiradentes na casa de ensino. “Esta instituição cultiva valores cívicos e morais, promovendo a segurança do cidadão paranaense. Hoje nossa homenagem especial é aos policiais estaduais, militares e civis, que superam no dia a dia as dificuldades em prol do cidadão paranaense mesmo que isso custe sua própria vida. As atitudes e palavras de Tiradentes não foram em vão, vêm influenciando muitas no Brasil”.

APOSTILA POLICIA MILITAR DO PARANÁ
APOSTILA PMPR

Este ano foi a primeira vez que a cerimônia foi feita na APMG, anteriormente acontecia na Praça Tiradentes, no centro de Curitiba (PR). “Foi um sonho de vários comandantes da Polícia Militar trazer esta solenidade para dentro desta casa de ensino, que é um local apropriado para grandes cerimônias. Este evento culminou com a entrega do Espadim aos cadetes, que é mais uma homenagem ao nosso Patrono. Hoje eles fazem sua primeira apresentação formal”, explica o Comandante a Academia de Policial Militar do Guatupê (APMG), tenente-coronel Mauro Celso Monteiro.

A solenidade teve início com a alvorada festiva em homenagem a Tiradentes e posteriormente foi inaugurado seu busto, o qual foi doado pelas potências maçônicas: Grande Oriente do Brasil, Grande Loja do Paraná e Grande Oriente do Paraná. A estátua ficará em lugar de destaque na casa de ensino, onde foi depositada uma coroa de flores pelas principais autoridades presentes, entre eles o Comandante-Geral da PM, coronel Maurício Tortato; o Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias; representantes da Polícia Civil e da Maçonaria.

ESPADIM – Em continuidade à cerimônia foi feita a apresentação dos novos cadetes que ingressaram na Escola de Oficiais da APMG no 1º ano do Curso de Formação de Oficiais (CFO) no ano passado. Ao todo, 102 cadetes (91 policiais e 11 bombeiros), sendo um do estado do Espírito Santo, receberam, de seus padrinhos e madrinhas, o Espadim Tiradentes, arma símbolo do cadete da Polícia Militar do Paraná.

Para os cadetes do 1º ano além da realização de um sonho, a emoção deste dia é indescritível, como disse o cadete Henrique Pilz Tschoeke: “é uma satisfação enorme a data de hoje, pois foram mais de 200 horas de treino para este evento. No momento em que recebi o espadim foi uma emoção indescritível. Minha expectativa é seguir no curso com mais uma fase vencida”.

“Para mim é a realização de um sonho, que batalhei muito para conseguir, e eu me espelho muito em meus parentes militares, principalmente no meu pai, e através desta conquista, me sinto muito feliz hoje”, afirma o cadete Carlos Henrique Rodrigues Assunção, sobrinho do tenente-coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção e filho do também tenente-coronel Carlos Alberto Assunção. “Me sinto muito orgulhoso e feliz por ele seguir meus passos, sabemos como é difícil ingressar na escola de oficiais, então, tendo em vista esta dificuldade temos muito a reconhecer o esforço dele nisso ; é um grande sonho que está se realizando hoje”, avalia o pai orgulhoso.

Outra cadete que está seguindo o caminho dos familiares é Thaisa Caroline Nabozny Rodrigues, sobrinha dos oficiais capitão Solange Nabozny Tedeschi e tenente-coronel Valdir Tedeschi. “É uma emoção que nem consigo descrever, pois foi por tanto tempo esperada esta oportunidade, um sonho de criança, estar aqui, receber o espadim e ver a família orgulhosa não tem preço. Espero que eu possa alcançar objetivos dentro da Polícia Militar e cumprir o que esperam de mim. Isso é muito mais do que eu esperava”, disse Thaysa.

MEDALHA – Durante o evento também foi entregue a Medalha Mérito de Ensino aos professores e instrutores da APMG, militares e civis que atuam nos núcleos de ensino da PM em todo o estado, como forma de gratidão e reconhecimento pelo empenho e dedicação à instituição. A honraria foi instituída pela portaria do Comandante-Geral nº 1027 de 17 de agosto de 2009 com a finalidade de atribuir reconhecimento aos militares e civis.

A Medalha Mérito de Ensino da APMG foi dividida em: Medalha Policial Militar “Coronel Dagoberto Dulcídio Pereira” e Medalha Bombeiro Militar “Coronel Rene Raul Vegerro Silva”. A esposa do Coronel Guaraci Moraes de Barros, um dos ex-Comandantes da PMPR e também instrutor na APMG, recebeu a medalha em nome dele, juntamente com os demais homenageados.

Participaram do evento o Comandante da 5ª Região Militar e respondendo pelo Comando da Artilharia Divisionária da 5º Divisão de Exército, General de Brigada Aléssio Oliveira da Silva; o Procurador da República, Alessandro José Fernandes de Oliveira; o Vice-Reitor da Unespar, Sidnei Kempa; o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita; o Vice-Presidente e Diretor Administrativo do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Orlando Pessuti; o Subcomandante do CINDACTA II, coronel aviador Ramiz Andraus Júnior; o Comandante-Geral da PM, coronel Maurício Tortato; o Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias; o Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Juceli Simiano Júnior; o Comandante do 6º Comando Regional da PM (6º CRPM), coronel Chehade Elias Geha; o Diretor de Apoio Logístico (DAL), coronel João de Paula Carneiro Filho; o Diretor da Diretoria de Ensino e Pesquisa (DEP), coronel Nelson Argentino Soares Júnior; o Comandante a Academia de Policial Militar do Guatupê (APMG), tenente-coronel Mauro Celso Monteiro; o Comandante do 1º Grupamento dos Bombeiros, tenente-coronel Wellington de Farias Ramos Júnior; o Comandante do BPRv, tenente-coronel Antônio Zanatta Neto; o Assessor Militar da SESP, tenente-coronel Nelson Ademar Piske; o Chefe da Diretoria de Assuntos Institucionais, tenente-coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção; o Chefe da 5ª Seção do Estado maior da PM, tenente-coronel Vanderley Rothenburg; o Comandante do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), tenente-coronel Adonis Nobor Furuushi; o Comandante do 22º Batalhão da PM, tenente-coronel Roberto Sampaio Araújo; e o Sub-chefe da Diretoria de Desenvolvimento Tecnológico e Qualidade (DDTQ), tenente-coronel José Carlos Ludovico.

Também estiveram presentes o coronel da reserva Paulo Vergílio Guimarães; o coronel da reserva Ariovaldo Alves Nery Júnior; o Presidente da Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Paraná (ASSOFEPAR), coronel da reserva Isaías de Farias; o coronel da reserva Celso José Mello; o coronel da reserva Luiz Rodrigo Larson Carstens; o Presidente da Associação da Vila Militar (AVM), coronel Washington Alves da Rosa; o Diretor-Geral da SESP, delegado Francisco José Batista da Costa; o Corregedor-Geral da Polícia Civil, delegado Jairo Amodio Estorílio; representando o Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, tenente-coronel Washington; o Comandante do 20º Batalhão de Infantaria Blindado, tenente-coronel Gersom Rolim da Silva; o Comandante do 5º BLOG, tenente-coronel Eron Pacheco da Silva; o Comandante 5º BSUP, tenente-coronel Fabrício Leite da Silva; o Secretário Municipal Augustinho Michalizen; o Chefe de Gabinete da SESP, delegado Roberto de Mello Milaneze; o Coordenador de Ensino Superior da Secretaria de Ciência e Tecnologia, Mário Cândido de Athay Júnior; a Superintendente de Educação Inês Carnielleto; além de familiares e convidados.

TIRADENTES – Tiradentes foi alferes, um oficial subalterno da Polícia Militar de Minas Gerais. Sua capacidade de organização e liderança fez com que fosse escolhido para liderar a Inconfidência Mineira, grupo integrado que tinha como principal objetivo a Independência do Brasil. Ele recebeu este apelido por exercer também o ofício de dentista.

Foi precursor da independência e, quando a inconfidência foi descoberta, se entregou em favor do grupo, confessou seus interesses. Por isso, há uma grande identidade dos policiais com ele. Os integrantes da Inconfidência sonhavam em fundar universidades e escolas e com um País com menos desigualdades sociais. Conforme relata a história, Tiradentes e seu grupo de inconfidentes foram delatados e julgados, mas alguns aristocratas ganharam penas mais leves. Já Tiradentes, de origem humilde, foi condenado à forca e executado em 21 de abril de 1792.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA